Notícias - Peeling, o Tratamento que Você Precisa Conhecer

O inverno é a época ideal para a realização de tratamentos estéticos, pois somos poupados do calor e demasiada incidência solar, o que pode prejudicar o resultado dos procedimentos de beleza. Que tal se programar e entender melhor sobre as diferentes opções deste mercado florescente? A Feira Curitiba Beauty & Hair traz a você as informações mais importantes sobre o assunto! E hoje falaremos sobre o peeling, um processo que remove camadas superficiais da pele, podendo ser realizado com produto químico (ácidos), físico (dermoabrasão, como o peeling de cristal, diamante ou microdermoabrasão), biológico (enzimas de frutas), vegetal (gomagem) ou laser (aparelhos que estimulam a troca de células); ele é indicado para rejuvenescer, retirar manchas e cicatrizes de acne, amenizar flacidez e outros. É importante salientar que peelings são orientados por dermatologistas, sendo que apenas o tipo “gomagem”, que é superficial, pode ser realizado por esteticistas, sem aparato médico portanto.

Antes de se jogar neste tipo de procedimento, faz-se necessária a proteção solar, além do uso de ácidos suaves (hidroquinona, glicólico e retinóico) algumas semanas antes do peeling, para que a pele esteja preparada para o que virá. Caso o paciente seja alguém exposto ao sol com frequência, ou que tenha estado em tratamento com isotretinoína, os processos que descreveremos abaixo não são recomendados, além de haver maior risco de inflamação para usuários de anticoncepcionais orais ou corticóides por exemplo. Ou seja: o dermatologista aqui é rei!

Durante o peeling (do inglês, “descamação”, também chamado de “decapagem” ou “resurfacing superficial”), a epiderme é controladamente trabalhada, com ou sem a derme, através da remoção de lesões superficiais e esfoliação, o que gera em seguida um novo tecido para a área, junto à estimulação de colágeno, reestruturada e renovada, de acordo com a profundidade do tratamento realizado:

– superficial: tem como objetivo a retirada da primeira camada da pele, sem que a descamação seja muito visível, para estimular seu colágeno e assim melhorar a hidratação e clarear a tez, além de atenuar rugas superficiais, secar espinhas, otimizar o efeito de cremes e acelerar o desaparecimento de manchas. É feito com ultrassom estético, jatos de cloridróxido de alumínio e utensílios que esfoliam suavemente, combinados a ácidos como o hialurônico, glicólico de baixa concentração, tricloroacéticos, salicílicos e retinaldeídos.

-médio: visa rejuvenescer em até cinco anos a pele, diminuindo rugas finas e médias e manchas superficiais, com a renovação da camada externa da pele por meio da produção de colágeno. Os ácidos nesta técnica são de maior concentração, assim como a potência dos instrumentos que lixam a pele.

– profundo: além de aparelhos e ácidos, este procedimento usa do peeling de fenol para alcançar um rejuvenescimento de cinco a quinze anos. Ele é mais agressivo e pode requerer a sedação do paciente, pois uma feriada é criada na derme, por isso é preciso muito cuidado e a experiência de um bom profissional para a realização desta técnica.

Uma vez um procedimento de peeling realizado, a pele ficará sensível e poderá se recuperar lentamente, tendo a ajuda da vitamina C, por exemplo. Podem haver complicações, então todo cuidado e informação é pouco !

Se você, assim como nós, também é apaixonado pelo mundo da estética e beleza, não pode perder a próxima edição da Curitiba Beauty & Hair, em agosto, no Parque Barigui, que trará os melhores profissionais, marcas e serviços do setor!

COMPARTILHAR